mundo
airbus

Airbus e Banco Mundial lançam projeto de desenvolvimento

digital para conectar Lima, os Andes e a floresta central no Peru

A Airbus e o Banco Mundial assinaram um Memorando de Entendimento para desenvolver o SmartBus, um projeto-piloto de monitoramento geoespacial que vai permitir a coleta e transmissão de informações em tempo real sobre o estado da Rede Rodoviária Nacional, assim como a comunicação com áreas hoje isoladas devido a desastres naturais. O projeto também estudará o uso de novas tecnologias para fornecer acesso à internet em áreas rurais. A iniciativa, que conta com a participação do Ministério de Transporte e Comunicações (MTC) peruano, será desenvolvida na rota rodoviária andina entre Lima, capital do Peru, na costa do Pacífico, e cidades situadas à beira e na baixa selva amazônica.

 

Dados científicos serão coletados com uma precisão nunca antes alcançada, possibilitando o mapeamento de uma das seções mais acidentadas - e movimentadas - da malha de transportes do país, incluindo a estrada Ticlio, a rodovia pavimentada localizada na mais alta altitude nos Andes centrais, a 4.818 metros acima do nível do mar.

 

“Somente será possível manter o crescimento na próxima década se nossos países investirem no desenvolvimento de recursos humanos e capacidade científica. Esse projeto-piloto busca justamente atingir essa meta, ao conectar habitantes de uma região geográfica peruana de difícil acesso, ajudando-os a identificarem problemas e possíveis soluções relacionados a segurança nas estradas, meteorologia e logística de transportes”, disse Alberto Rodríguez, Diretor do Banco Mundial para a Bolívia, Chile, Equador e Peru. “Ao fazer a ponte entre as pessoas e seus problemas com centros de pesquisa, universidades e empresas líderes em tecnologia, o projeto está ativamente contribuindo com o desenvolvimento da região”.

 

“O apoio demonstrado pelos órgãos peruanos corrobora o grande interesse peruano por inovações tecnológicas. A Airbus está empenhada em continuar apoiando esse movimento, especialmente levando em consideração que a Transformação Digital está no centro dessa estratégia de crescimento”, comentou Christophe Roux, Head da Airbus Defence and Space na América Latina.

A primeira fase do projeto envolverá a instalação de antenas e sensores de satélite em vários ônibus comerciais, cobrindo por completo a rota de 742 km que começa na costa, passa pelas montanhas e termina na floresta. Os dados coletados por esses dispositivos serão complementados por imagens de satélite coletadas pela Agência Espacial Peruana (CONIDA), um dos órgãos que estão trabalhando no projeto SmartBus.

 

A segunda fase contará com a organização de uma hackathon em Lima dos dias 15 a 17 de fevereiro de 2019, que reunirá engenheiros, desenvolvedores e estudantes do país inteiro para trabalharem juntos no desenvolvimento de serviços e soluções digitais inovadoras com base nas informações coletadas pelos sensores.  

 

O projeto permitirá a medição do impacto de soluções tecnológicas inovadoras, como o acesso a novos modelos de conectividade, sistematização de dados coletados por meio de aplicações sem fio para monitoramento de infraestruturas e manutenção da malha rodoviária e também a atualização de informações que sejam relevantes para atividades empresariais em nível local.

 

No Peru, existe uma enorme disparidade entre as áreas urbanas e rurais em termos de acesso à internet. De acordo com o Instituto Nacional Peruano de Estatísticas (INEI), de cada 100 lares, 56,7 possuem acesso à internet na área metropolitana de Lima, 32,5 no resto das áreas urbanas e apenas 1,3 em áreas rurais (INEI, 2018). Esse projeto-piloto, um dos programas de inclusão digital atualmente sendo desenvolvidos pelo Banco Mundial, que conta com o apoio da Parceria para o Desenvolvimento Digital (Digital Development Partnership) da instituição permitirá acesso em tempo real a dados meteorológicos e informações sobre as condições de transporte, ajudando a diminuir o impacto de enchentes recorrentes na infraestrutura e na economia local, além de promover medidas adequadas para a prevenção de acidentes e para a melhoria da segurança nas estradas. 

 

Diversas empresas estão trabalhando conjuntamente com a Airbus, o MTC e o Banco Mundial para implementar esse projeto. Kymeta e Aventior (ambas empresas americanas) e Terabee (francesa), bem como as empresas peruanas TEPSA e Lequi Peru, estão fornecendo recursos, assim como o workshop digital Fab Lab Lima, a unidade local da rede internacional da Fab Foundation. A Universidade Nacional de Engenharia também está participando do projeto SmartBus por meio do Departamento de Engenharia Civil e do Instituto Nacional de Pesquisa e Treinamento em Telecomunicações (INICTEL-UNI). Além disso, por meio da Aliança para o Desenvolvimento Digital, as seguintes instituições colaboram neste projeto: Microsoft, GSMA, Finlândia, Coréia do Sul, Japão, Reino Unido e Dinamarca. 

Sobre Airbus

A Airbus é líder mundial em aeronáutica, espacial e serviços relacionados. Em 2017, registrou faturamento de €59 bilhões de euros redeclarado dentro do padrão IFRS 15 e empregou cerca de 129 mil profissionais. A Airbus oferece a mais completa gama de aviões de passageiros de 100 a mais de 600 assentos. A empresa também é a líder europeia no fornecimento de aviões-tanque, de combate, transporte e missão, bem como uma das empresas líderes globais na área espacial. Em helicópteros, a Airbus fornece as mais eficientes soluções em modelos civis e militares em todo o mundo.

 

Sobre o Banco Mundial

O Grupo Banco Mundial é uma parceria global única: as cinco instituições que o compõem trabalham para reduzir a pobreza e gerar prosperidade compartilhada nos países em desenvolvimento.

JeffreyGroup Brasil