notícias
covid-19

São Paulo, 04 de Fevereiro de 2021

SP recebe o maior lote da Vacina do Butantan, com 8,6 milhões de doses

Carga com 5,4 mil litros desembarcou no fim da noite de quarta no aeroporto de Viracopos, em Campinas

50907765586_cbaf61a6b0_c.jpg

Dimas Covas, João Doria e Jean Gorinchteyn

O Governo de São Paulo recebeu na noite desta quarta-feira (3) o quarto lote de insumos para a produção da vacina do Instituto Butantan contra o coronavírus. A maior carga remetida da China para o Brasil até agora vai permitir a produção de mais 8,6 milhões de doses do imunizante na capital paulista.

"Quanto mais rápido vacinarmos, mais rápido sairemos da crise, mais rápido a economia retoma. E voltaremos a ter felicidade e alegria, a possibilidade de reencontrar nossos amigos, nossos familiares e participarmos de atividades que hoje não podemos fazer, porque temos que nos proteger, com a máscara, o álcool em gel, o distanciamento, evitando aglomerações", afirmou o Governador João Doria, que foi ao aeroporto de Viracopos, em Campinas, acompanhar o desembarque dos insumos, transportados pela Latam Cargo.

O lote com 5,4 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) foi enviado pela biofarmacêutica Sinovac, com sede em Pequim e parceira internacional do Butantan no desenvolvimento da vacina. Em São Paulo, as 8,6 milhões de doses serão envasadas, embaladas e rotuladas para integração ao PNI (Plano Nacional de Imunizações). Elas começarão a ser entregues ao Ministério da Saúde no próximo dia 23.

Para a próxima semana, está prevista nova remessa de 5,6 mil litros de matéria-prima para a produção de cerca de 8,7 milhões de doses. Com isso, as vacinas prontas e insumos adquiridos pelo Butantan irão corresponder a mais de 27 milhões de doses para imunizar a população brasileira.

Além disso, já existe outro pedido do Butantan à Sinovac para mais uma carga de 8 mil litros de IFA, o que permitirá acelerar ainda mais a produção local de novas vacinas. Em janeiro, o Butantan entregou 8,7 milhões de vacinas ao Ministério da Saúde, com 6 milhões no dia 17, outras 900 mil no dia 22 e mais 1,8 milhão no dia 29.

Processo de envase

A área produtiva da fábrica do Butantan tem 1,8 mil metros quadrados e conta com 370 profissionais, dos quais 120 foram contratados em janeiro para reforçar a produção da vacina contra o coronavírus. A capacidade de envase diário pode alcançar até um milhão de doses.

Assim que chega ao Butantan, a matéria-prima é acondicionada em um contêiner de aço inox e armazenada em uma câmara fria. Para o processo de envase, esse contêiner é encaminhado para a sala de tanques, onde o IFA será transferido para uma bolsa de agitação e depois para o tanque pulmão em que as vacinas são armazenadas em frascos.

As ampolas são lavadas e esterilizadas com ar seco quente, passam para a máquina envasadora e, por meio de esteiras automáticas, são posicionadas em agulhas que despejam o produto com o auxílio de uma bomba dosadora. Já com a vacina, os frascos seguem por uma esteira automática a uma máquina recravadora para a colocação de selos de alumínio.

Os frascos passam por uma inspeção e checagem dos rótulos antes da embalagem final. Com as vacinas envasadas, o Butantan promove testes de qualidade por amostragem, incluindo aspecto, pH, volume extraível, volume médio, teor de alumínio, teste de vedação, osmolalidade, identidade, conteúdo antigênico, toxicidade, esterilidade e endotoxina.

Secretaria Especial de Comunicação