antropologia

Vergonha de mudar de opinião

Conheço pessoas que sofrem muito por não terem coragem de mudar de opinião.

Como em algum momento do passado elas defenderam uma causa em que acreditavam com muita força e fervor, agora se sentem interiormente impedidas de mudar, de reconhecer que estavam enganadas, de aceitar que as outras pessoas estavam certas e não elas. Com isso, sofrem muito.

E o que é pior. Mesmo sabendo estarem erradas, continuam defendendo causas nas quais não acreditam mais, só por se sentirem incapazes de mudar de opinião, de pedir desculpas e dizer que pensaram melhor, estudaram novos argumentos e mudaram de ideia. Para algumas pessoas isso é impensável!

Vejo isso acontecer a respeito de qualquer tema: costumes, saúde, religião, meio-ambiente, opções dietéticas, política etc.

Pessoas que ficam prisioneiras de posições adotadas no passado são muito infelizes e pobres de espírito, pois não aceitam a realidade de que todos temos o direito de mudar de opinião, mudar de ideia, entender melhor os fatos, enfim, evoluir.

Embora não acreditem mais no que acreditavam, essas pessoas infelizes, muitas vezes vivem buscando fatos e dados para novamente se convencerem do que hoje desacreditam e, por vergonha de mudar ficam fixas no erro, assumem compromisso com aquilo que elas próprias não aceitam mais. 

Um dos mais inalienáveis direitos do ser humano é mudar de ideia, mudar de opinião, ninguém deve se vitimar assumindo o compromisso eterno com o erro, com aquilo que não acredita mais. Se você foi alguém que defendeu ideias nas quais não acredita mais, tenha a coragem de mudar e enfrente o medo e a “lacração” de pessoas que irão acusar você de “vira-casaca” ou mesmo de possível traição.

Essa verdadeira tirania de não ser capaz de mudar de opinião chega a ser doentia, faz adoecer e acaba por consumir suas pobres vítimas.

Lembre-se: você tem o direito de mudar de ideia, de opinião sem ter que dar satisfação a ninguém.

 

Pense nisso. Sucesso!